A Casa do Norte do Seu Gabin

A Casa do Norte do Seu Gabin

De São Paulo

Conheci este legítimo boteco da região de Perdizes pelo nome de Bar do Bigode, mas segundo a equipe da casa, este apelido é invenção da galera de Recife que frequenta o local. Não poderia ser diferente, pois foi justo meu amigo e ilustrador Victor Zalma, pernambucano, que me passou a boa dica. O nome oficial do lugar é Casa Bar Ribeiro, e além dos domínios de Recife também é conhecida como Casa do Norte do Seu Gabin.

O apelido dado pelo povo de Pernambuco talvez seja uma referência ao Dono, o paraibano Seu Gabin. Gabin não estava no dia em que tive a oportunidade de conhecer o seu cantinho. Por lá, quem gerenciava o movimento era o seu irmão Ademar, simpática figura, que também poderia perfeitamente se apelidado de bigode. No entanto, como me revelou, é mais conhecido como “japa da Paraíba”, por seus olhos puxados. De japão o lugar não tem nada. É Paraíba no que há de melhor.

Quem está mais acostumado com os pé-limpos metidos a botequim de São Paulo pode até achar o lugar largado. Mas o local é limpo e eu mesmo tive a chance de conhecer a cozinha e conversar com o comandante das panelas, o Elias – responsável, entre outros, pela famosa galinhada do lugar. A Casa do Norte é verdadeiramente um boteco, a moda antiga, sem grandes invenções decorativas ou mesmo a necessidade de se auto intitular como boteco propriamente dito (como muitos barzinhos bonitinhos fazem por aí). É simples e deliciosamente informal.

No salão aberto para a rua ficam dispostas diversas mesas de madeira, sem muita organização. O bar estende o seu espaço com mesas também na calçada. Estantes de ferro reúnem os mais diversos produtos do norte, junto ao balcão com acabamento de azulejos azuis e brancos.

Casa Bar Ribeiro, Casa do Norte do Seu Gabin, boteco, Perdizes, bom e barato, comida nordestina, comida sertaneja, comida de boteco (3)

A Casa do Norte é verdadeiramente um boteco, a moda antiga, sem grandes invenções decorativas

Casa Bar Ribeiro, Casa do Norte do Seu Gabin, boteco, Perdizes, bom e barato, comida nordestina, comida sertaneja, comida de boteco (7)

O gente boa Ademar, irmão de Seu Gabin, gerenciava a casa no dia em que estivemos lá

Tudo é meio no improviso, não há um garçom oficial. Por vezes o próprio Elias sai da cozinha para atender o povo – na maioria absoluta já clientes do lugar. Em outros momentos, quem nos serviu foi o Ademar, sempre esticando a estada para uma prosa. Era uma quinta à noite quando eu e meu companheiro Cascabulho aportamos por lá. Não havia galinhada aquele dia, mas na cozinha, um tentador sarapatel estava para sair das panelas.

Esqueçam o cardápio. Perguntem o que há para comer e beliscar. Cada dia tem um prato, como caldo de mocotó, baião de dois e por aí vai. A porção de carne seca com macaxeira, porém, é pedida certa sempre. Ademar me disse que a casa passou a servir carne seca, ao invés de somente carne de sol, para atender a própria demanda do público paulistano. Carne seca no nordeste é a mesma coisa que carne de sol e isto gera sempre alguma confusão. A carne seca que se come no sudeste (tanto no Rio quanto em Minas e São Paulo) é carne de charque (como conhecido no sul). Adoro as duas.

Casa Bar Ribeiro, Casa do Norte do Seu Gabin, boteco, Perdizes, bom e barato, comida nordestina, comida sertaneja, comida de boteco (5)

A ótima carne seca com macaxeira é pedida certa todo dia

Casa Bar Ribeiro, Casa do Norte do Seu Gabin, boteco, Perdizes, bom e barato, comida nordestina, comida sertaneja, comida de boteco (8)

Não resisti ao sarapatel preparado pelo cozinheiro Elias numa grande panela…

Casa Bar Ribeiro, Casa do Norte do Seu Gabin, boteco, Perdizes, bom e barato, comida nordestina, comida sertaneja, comida de boteco (1)

… e acabei ganhando uma provinha. Um suspiro de felicidade

Só posso dizer que a adaptação acabou por gerar um ótimo petisco, que na verdade é até bastante comum no Rio de Janeiro (em terras cariocas é chamado por “carne seca com aipim” em São Paulo “carne seca com mandioca”). A carne estava macia, no ponto certo de dessalga e a macaxeira simplesmente desmanchava na boca. Perfeita! A porção foi tão barata que eu mesmo me esqueci de anotar o valor.

Demos conta da travessa rapidamente. O prato foi mais do que suficiente para nossa escala, no entanto eu não consegui resistir ao sarapatel e solicitei uma pequena prova, que Ademar gentilmente me cedeu. O potinho metálico com sarapatel deu somente para um rápido suspiro de felicidade. Fica para outra. Encerramos a nota, super em conta, que ainda incluiu duas cervejas servidas geladíssimas (a casa também conta com diversos bons rótulos de cachaça, entre os quais eu recomendo a paraibana Serra Limpa).

Eu estou ansioso para voltar a este boteco, mas da próxima vez certamente para escrever sobre a galinhada.

Casa do Norte do Seu Gabin (Casa Bar Ribeiro)

Funciona diariamente das 7h às 00h.

Endereço: Rua Aimberê, 1146 – Perdizes. São Paulo (SP).

Contatos: (11) 36731768